26 de julho de 2007

Death Proof

Confesso que estava com medo de não gostar, de passar um mau bocado, como no Lynch... Mas nada disso aconteceu. Tarantino sabe escrever guiões e delicia-se, tanto com as palavras como com a sua desconstrução. Só nos filmes de Tarantino os "low-life" articulam frases coerentes e plenas de inteligência emocional, desde Reservoir Dogs até Death Proof; só nos filmes de Tarantino a morte grotesca se converte em gargalhada! Só o Tarantino consegue ser "nerd" e simultaneamente "fashion"; Só o Tarantino consegue ser demodé e futurista; Só o Tarantino consegue fazer história com filmes esquecidos que venera!
Death Proof é uma ode a um cinema de velocidade, que idolatra carros e motores. O filme tem duas histórias e a segunda é uma "copy paste" da primeira, com um twist final. Na memória ficam referências óbvias e ostensivas para os fãs, como um toque de telemóvel com um tema da banda sonora de Kill Bill e várias revistas com a Kirsten Dunst a publicitar o Marie Antoinette de Coppola. Tudo é excesso: de palavras, de sangue, de música, de velocidade, de cortes propositados de montagem...
Para alegrar ainda mais, vi o filme numa sala Lusomundo, à tarde, sentada à frente de duas pessoas obesas mórbidas que falavam uma língua "de leste" e que íam arrotando e suspirando (dependendo se bebiam mais um trago de pepsi, ou se viam mulheres no ecrã). Foi como se o Homer Simpson, em todo o seu esplendor de alarvidade de sofá, tivesse saído da tela da sala ao lado para se sentar atrás de mim... Foi maravilhoso! Cheguei mesmo a pensar que aquilo também era obra do Tarantino e que por todo o mundo havia sempre, em cada sala, dois actores contratados para fazerem aquele papel.
Inolvidável: O filme e a companhia!

4 comentários:

Se Faz Favor disse...

Só me ocorre perguntar: o que raio fazes na vida para poderes ir ao cinema à tarde?!

Cuga disse...

E antes de ir ao cinema ainda tive tempo de ir almoçar à Bica no Sapato e depois terminei o dia no AYA
Oh SFF, Não me digas que ainda não sabes...Tal como tu, eu sou um actor porno às 3as e 5as e a Jane Rawling nos restantes dias!

Mak, o Mau disse...

Ah, eu cá à 6a tenho horário de Verão, o equivalente a dizer em que é um dia em que com sorte tenho um horário normal, por isso nem arrisco profissões desse gabarito...

Se Faz Favor disse...

Fui ver este filme ontem. É brilhante, há muito tempo que não me ria tanto num filme!...