10 de maio de 2007

ohio impromptu by Samuel Beckett

Mesmo que não se goste de Beckett, só para ouvir o Jeremy Irons, vale a pena.

9 comentários:

Kinder disse...

Já ando a ver tudo a quadriplicar.

Kinder disse...

Assunto anterior resolvido!
Agora outra surpresa, que surge neste blog com pézinhos de lã, relaciona-se com a mudança do livro. Para trás ficaram meses mal passados com o David. A seu lado adormece um Chuck. Espero que não seja o Norris que esse tipo ressona como o caraças.

Mak, o Mau disse...

Eu vou agora começar a ler esse, por isso nada de estragar capítulos :p

Cuga disse...

Well spotted Kinder!
Qual estás a ler Mak, o Lodge? Recomendo vivamente o Thinks. Até estava a pensar fazer umas observações, mas assim sendo e já que vais ler, espero que acabes. Só espero que sejas um leitor mais rápido que eu, que me arrasto à volta de certos livros e depois por causa de uma página começo num sprint, lendo até nas áreas de serviço. (Ando a considerar a hipótese de comprar versões audio pois assim não desperdiçava 4 horas ao volante, 3 vezes por semana, sempre a ouvir programas palermas, ou CDs conhecidos!

Kinder disse...

Eu não sei qual é a piada dos audio-livros. É que assim acabam-se a porra das gralhas.

Mak, o Mau disse...

Metam-se uns corvos em som de fundo e resolve-se a coisa.

Estou a começar é o do Chuck, esse mesmo dos monstros invisíveis.

Tartaruga disse...

Olha là não há uma versãozinha em francês? Não ficava nada mal!!!!!

Cuga disse...

A trataruga afinal está viva na blogosesfera!

S. disse...

Olá Cuga,
obrigada por teres escrito no cadáver.
Envio o texto integral qd juntar tudo.
Bj