22 de julho de 2006

Silence is all we dread

Silence is all we dread.
There’s Ransom in a Voice—
But Silence is Infinity.
Himself have not a face.

IN: The Complete Poems of Emily Dickinson (Written c. 1873)

5 comentários:

Kinder Surpresa disse...

Acho que há uma coisa parecida com esta numa das músicas dos Silence 4. Para quando um post sobre essa grande silêncio musical?

Cuga disse...

Vou pensar nisso, afinal também essa banda admite que Silence Becomes It!

Grande Diospiro disse...

Nunca mais compro Kinder Surpresa aos putos. E já agora, cara Cuga, podes sempre enfiar-lhe um balázio com uma pistola com silenciador, ele calava-se e nem incomodavas a vizinhança.

Kinder Surpresa disse...

Hum...o grande diospiro esquece-se que pistolas com silenciador até não fazem grande barulho. Mas ao contrário dos filmes, os gritos de dor lacinante são de acordar os mortos. Por falar em mortos, para quando um post sobre os Silence 4?

Cuga disse...

Reparem que estou a adorar! Graças ao poder do chocolate e da erva aromática tenho comentários... Por isso, continuem, eu escrevo sobre os silence4, eu mato o Kinder (de faz de conta) eu, eu, eu....